Biscates em Festa

O aniversário é do Biscate Social Club, mas é a gente quem dá o presente (e o que mais tiver vontade por aí, a gente por aqui é bem animad@ nesse negózi de dar). Um ano de blog, 330 textos publicados e muita empolgação, nos desafiamos escolher apenas um de cada bisca escrevente. O post xodó de hoje. Porque, como biscas sabidas que somos, percebemos que o querer bem é construído e relacional e cabe sempre mais um entre as per…ops, no coração.

Entre os queridinhos tem post falando do jeito biscate de ser, de traição, de relações e até dela, justo ela, a buceta. E como em festa boa sempre tem convidad@ bacana, também tem texto de bisca convidada entre os preferidos da galera. Só pode, né, texto gostosinho da bisca-feminista-blogueira-mãe Renata Corrêa e uma das primeiras a responder ao convite de visitar o nosso Club. Aproveitamos (somos dess@s, para agradecer todos os deliciosos posts dxs nossxs convidadxs que toda semana vem nos chacoalhar!

Então, não percamos mais tempo e vamos dizendo que nem a Elba Ramalho e o Gonzaga: quer ir mais eu, vamos, quer ir mais eu vumbora, vumbora sem demora deixa a roupa na porta…

Abaixo os comentários e links dos posts escolhidos:

Ressignificar a Buceta de Renata Lima

“Como escolher um texto só da nossa Delegata? Pois é, meio impossível! Mas tá aí! Ressignificar a Buceta foi um texto quatrocentos uma perspectiva MARA para coisa, um novo jeito de ver (mesmo quem já fez candelabro italiano). Lembrando, com a nossa querida Diva Valesca que “Minha Buceta É o Poder” a Renata coloca em xeque os padrões tradicionais de tratamento da mulhé e de sua liberdade sexual. Lindo!” (Augusto Mozine)

Yes, Nós Temos Barriga de Sílvia Badim

“A Sílvia é uma artesão do sentir e seus textos comovem e encantam. Meu preferido é um texto de babar. Um daqueles posts que acolhem a diversidade, que indicam a beleza da diferença e nos recordam que viver é um gozo. Um texto que lembra o prazer…da boa mesa, da boa conversa, da boa cama.”(Luciana Nepomuceno)

Ele Só Quer Te Comer de Luciana Nepomuceno

“Esse texto mexe tanto com idéias naturalizadas. Não só com o “Ele só quer te comer”, invertendo. Mas com a idéia “religiosa” de separação corpo e …alma? Corpo é a gente. A gente é corpo. Ao revés de todas as convenções, o texto conta do corpo como história, como marcas da vida vivida. A sensualidade como carinho. Libertador como poucos. E no “ele só quer te comer”, a palavra que sobra é o “só”. Olha que lindo.” (Renata Lins)

Orgasmo Masculino Fake: o Desejo X a Culpa de Augusto Mozine

Gostar do que o Augusto escreve é fácil, como amor de biscate. Esse texto, no entanto, me veio logo à cabeça, quando decidimos escolher a escrevinhação preferida de um dos muitos amores que pululam por aqui e o Mozine me foi oferecido (ui!). Porque biscatagem não tem gênero, e prazer e culpa não rimam, esse texto é uma foda das mais bem dadas. Sim, foi ótimo para mim. E para você? (Raquel Stanick)

A Escolha de Ana de Lis Lemos

“Está indo tudo muito bem obrigada. A gata tem algo muito bom com o gato. Sexo, amizade, vinho e risadas. Até que, por conta de uma loucura machista qualquer, tudo desanda quando o gato faz uma oferta  “irrecusável”. A coisa fica mais surreal ainda quando ele decide pedir algo (tão absurdo quanto) em troca. Tem de ler para crer.” (Charô Lastra)

Traição, O Nome do Jogo de Renata Lins

“Renata chegou no Biscate arrebentando com esse texto, fazendo todo mundo pensar e repensar sobre esse tabu cheio de espinhos que é a traição. Acho que ela nem sabe quantas vezes eu reli esse texto, o quanto compartilhei e perguntei com ela: ” E aí, como fica?”. Eu não sei, mas continuo perguntando!” (Sílvia Badim)

Só Fico Com Quem Eu Quero de Sara Siqueira

“Gostei porque explica de maneira sucinta e objetiva que mulher livre não é mulher disponível e merece ter seu direito de ir e vir respeitado por quem quer que seja. Um texto envolvente e que  chama a atenção de modo positivo e assertivo.” (Cláudia Gavenas)

Sexo aos 40 – Liberdade de Bete Davis

“É um post querido  e eu gosto tanto dele porque tem uma série de coisas que me encantam: humor, autoconhecimento, aceitação, respeito ao outro e sexo. E, claro, tem os interesses escusos, já estou quase chegando lá e uma ou outra dica são sempre bem vindas…” (Luciana Nepomuceno)

Minha Cidade se Chama… de Raquel Stanick

“Pelos olhos da Raquel conheci Anayde e fiquei a pensar quantas Anaydes eu nem conheço porque mulheres parecem ser desimportantes na História. A História é sempre contada pelo vitorioso homem branco cristão, não sabemos outras versões dessa mesma História. Se nela havia outras personagens,  oque aconteceu com elas. E é por isso que sou vadia e biscate e vou continuar a ir a muitas Marchas até que tenhamos as Histórias de todas as Anaydes contadas e sabidas aos quatro cantos desse país.” (Bete Davis)

Ai, Os Joguinhos de Claudia Gavenas

“Esse texto da Claudia revela um pouco da alma Biscate Social Club: não negar seus desejos, não ter vergonha do que sente. Criadas para fingir que não amamos, não desejamos e não queremos, vamos aos poucos quebrando isso e biscateando no mundo. Confiram lá!” (Lis Lemos)

Das Musas Improváveis de Charô Lastra

“Eu gosto muito dos textos da Charô porque eles me levam além, me tiram da minha zona de conforto, propõem olhares e enfoques que não seriam os meus mas com os quais aprendo e me regozijo. Me penerei pra escolher o primeirão dela aqui, falando de decoro e talz, mas o texto das Musas não só é excelente no seu conteúdo como a caixa de comentários se tornou um espaço muito rico e por isso é meu xodó.” (Luciana Nepomuceno)

Mocinha de Valor de Renata Corrêa

“Nesse um ano de BiscateSC foram muitos os textos que gostei de ler e escrever. O BiscateSC pra mim, para além do trabalho que dá co-gerenciá-lo, é só prazer. Entre os textos dxs biscates convidadxs, dentre os quais tenho que escolher APENAS UM, também foram muitos que se encaixaram na série “os textos que gostaria de ter escrito”. Mas teve um em especial que me ganhou desde o primeiro parágrafo. Quando o terminei de ler, sabia que ficaria para sempre entre os meus favoritos. Não só porque traduz o BiscateSC — o que somos e queremos e o que não somos e o que não queremos –, mas porque aponta para o surgimento da opressão e do machismo nas nossas vidas. Mais do que isso, ele é uma ode à rebelião contra a opressão, de forma prática, concreta. Quer saber como ser uma Mocinha de Valor? Ou melhor, quer saber como NÃO SER uma Mocinha de Valor? A linda da Renata Corrêa ensina de forma clara, direta e objetiva.” (Niara de Oliveira)

É ela! É ela! É ela!

nideoliveira

tô-muito-gata-e-blasè-sambando-na-cara-do-machismo

E, claro, é graças a ela que essa bagaça toda existe. A linda pimenta-com-limão-biscate-esquerdista-feminista Niara de Oliveira que fez acontecer este blog quando ele era apenas ideia, indignação e riso nas redes sociais. Foi ela com seu jeitinho de mandar pras cucuias o moralismo, o machismo e todas as amarras que querem fazer crer que mulher não goza, ou pior, que existem mulheres e mulheres e as que gozam não prestam… Foi ela quem fez esse sambante blog virar realidade e é por causa dela que estamos todas aqui pra dizer não existe “uma mulher única incrível” e que preferimos ser biscates e donas de nossas vidas! Um salve para a Niara! Por esta razãozita, tod@s nós escolhemos nosso post-preferido-da-Niara…

Augusto Mozine, Bete Davis e Renata Lins elegeram A cena mais biscate do cinema como preferido.

“O melhor post da Ni além de todos? Esse! A cena mais biscate do Cinema. Primeiro porque, por ser um anti-cinefilia (sim, me matem), é um texto que me faz querer mergulhar em cada um dos filmes, reproduzir cada um dos desejos, biscatear à las personagens! Segundo porque é a cara da Ni, a bisca cultura ogramente colocada. A nossa deusa, nossa louca, nossa feiticeira. A Ni é D+. (Tá acabei de usar a licença de borreguice das minhas próximas 4 gerações, mas ela merece!)” (Augusto Mozine)

“O que escolhi da Ni é esse: Um post que fala de mulher e de liberdade, como é o Biscate, como é a Niara. Uma ogra doce como só ela sabe ser, com um coração onde cabe o mundo. Mas que incomoda tanta gente por viver a vida sem dar explicações ou pedir licença. Como a Louise Bryant jogando o John Reed na grama. Viva!” (Renata Lins)

“As biscates adoram o bom cinema, especialmente se o filme tiver biscatagem, feminismo, homem bonito ( cassem minha carteirinha de feminista porque objetifico homens bonitos e charmosos), mulheres liberais e cenas de erotismo com diálogos bem feitos e foi isso tudo que a Niara me relembrou que existe em Reds, um filme que vale ser visto e revisto.  Diane Keaton sempre foi ótima e Warren Beatty um charme e levou mais de meia Hollywood pra cama, dizem que é ótimo no tema. O filme levou três Oscars, não que isso diga muita coisa tem filmes que eu amo que não levaram nenhuma estatueta.” (Bete Davis)

Já as biscas Raquel Stanick e Luciana Nepomuceno escolheram o delicioso Das Minhas Memórias Perdidas, um canto e a lua”…

“Neste post, além de falar mais sobre sua história, a Niara me apresentou uma música que passou a ser minha trilha sonora para minhas noites de lua cheia. Gosto muito também da ideia da lua como rebelde, será espelho da Niara que com sua insistência neste blog, fez mais uma vez vários mundos virarem de cabeça para baixo?” (Raquel Stanick)

“Eu gosto do que a Niara escreve e de como ela escreve. Gosto ainda mais quando ela se desnuda, quando nos deixa entrever o que dói, o que toca, o que pulsa. O post que escolhi  é um complexo emaranhado do que me toca: a escrita da Niara, a lua que me guia e espelha e a música da Denise Emmer que é responsável pelo retorno de memórias importantes e felizes. É um post que aponta a sensibilidade do olhar biscate sobre o mundo.” (Luciana Nepomuceno)

Lis Lemos elegeu a Gramática Biscate como o post mais tocante:

“A Niara explica aqui num “glossário biscate” os verbos, adjetivos, artigos que mais combinam com uma biscate. “Eu acho que o verbo preferido das biscates é QUERER”. Impossível concordar mais com uma frase.”

Já a Charô escolheu um dos textos mais polêmicos e verdadeiros do blog Divergência Semântica, Conceitual ou Preconceito Embutido?

“A escrita da bisca Niara de Oliveira é pura coragem. É por isso que gosto tanto deste post sobre cissexismo e cisgênero, tradução do que a gente lê no editorial biscate: “Não sabemos de tudo. Tentamos construir diálogos.”. Um post cujos erros (a gente erra e assume, claro) e acertos fizeram muita gente pensar, se manifestar e aprender.  Tudibão.”

Então é isso, meu povo biscate, a festa continua com post-mural de bisc@as-convidad@s que já passaram por aqui, um rolê pelo mundo biscate porta afora, um STRIP TEASE de biscas escreventes que pode fazer o mundo acabar e muito mais coisa boa. Não deixe de indicar aí na caixa de comentários um post que realmente mexeu com você. E vamos afastando os movéis que o arrasta-pé aqui no Club já tá animado assim:

Sobre biscatesocialclub

"se acaso me quiseres, sou dessas mulheres que só dizem sim..."
Esse post foi publicado em biscatagi, biscatagi especial, memória biscate, um ano Biscate SC e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para Biscates em Festa

  1. O mais legal? Se fosse indicação livre eu ia indicar o post da Renata Côrrea…não é lyndo essa gerência tão sintonizada?

  2. Caramba!!! Um ano já?!?!?!?!? Ai ai, essa vida voa mesmo, só sendo biscate pra conseguir aproveitá-la.
    Parabénsss!!! Esse blog é mara tem um lugar bem especial no meu coração!

  3. Charô disse:

    Parabéns Niara e pra todas as biscas escreventes e leitoras. Opa, pros biscos também! <333

    • Os parabéns não são pra mim, não, queridona. Minha maior alegria foi ter parido esse filho pro mundo tomar conta dele e ele virar esse mundo de cabeça pra baixo. E assim está sendo. Ele já anda “sozinho”, graças a dedicação da melhor parceira de gerência de biscatagi possível que é a graúna-borboleta-cangaceira-pistoleira da Lu e de todxs vocês que foram gostando, se chegando e ficando. Porque biscate é assim, se encosta e vai no embalo. Amo muito toda essa biscatagi coletiva, essa suruba biscate, e amo mais ainda essa parceria. Há quem duvide, mas o melhor do mundo são as pessoas. Amo ocêis! ♥

  4. lislemos disse:

    Viva nóis! E as Biscate tudo do mundo!

  5. Pingback: Inventário de uma alma rebelde, de bisca |

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s