Fazer por você mesma!

Não estou fazendo dieta pra emagrecer e agradar terceir@s,eu só estou me alimentando bem pois desejo viver com qualidade e saúde!

Então, quando você decide controlar sua alimentação, duas coisas são comentadas, principalmente por homens. A primeira é que você está magra, que vai adoecer se ficar sem comer. A segunda é que homem não gosta de mulher magra. Minha curiosidade é saber porque as pessoas pensam que controle alimentar é sinônimo de anorexia e magreza extrema? E minha revolta é que todo mundo acha que o corpo feminino é propriedade do homem, e que toda mulher que deseja cuidar da saúde, controle seu peso, controle sua alimentação, faça exercícios físicos regulares ou qualquer coisa que se faça pelo seu corpo é sempre pra agradar homens. Não temos desejos próprios que não passem pela satisfação masculina! Esse é o assunto do post de hoje.

Me revolto quando algum machista vem falar comigo, achando que eu TENHO que me importar com a opinião dele a ponto de mudar meus hábitos saudáveis porque “quem gosta de osso é cachorro”. Justo eu, que sempre lutei contra padrões de beleza de mulheres magérrimas, que já não sou escrava de balança há muito tempo. É tão difícil acreditar que uma mulher mude seu estilo de vida, se alimente de forma mais saudável apenas por ela mesma? É tão difícil acreditar que uma mulher usa um decote sem o desejo de chamar atenção de homens na rua a ponto de ser abordada, levar cantada e/ou passada a mão?

Acho que toda Biscate se incomoda com isso, nós não desejamos agradar ninguém além de nós mesmas! E, a cada dia, essas frases tem me irritado, me incomodado. Em muitos momentos, a única coisa que posso fazer é contornar com educação, devemos ser polid@s e educad@s com certas pessoas que nossa convivência é obrigatória profissionalmente. Se fosse um familiar, amigo ou colega eu já ia falando logo “quem disse que sua opinião ou a de qualquer homem me importa? Estou mudando minha alimentação pra melhorar a minha saúde, não estou emagrecendo pra ganhar cantadas ou agradar homens!” Sou conhecida como revoltadinha, mas isso não é nada além de uma atitude de Biscate. Mas, quando estou no meu ambiente de trabalho, posso apenas falar “acho que cada um deve cuidar da sua vida, não acha?” e coisas parecidas…

É numa hora dessas que, mesmo convivendo em um bom ambiente de trabalho, onde educo crianças para que sejam livres de preconceito. Ainda encontro, as vezes, alguma resistência de adult@s que agem com preconceito. E, só não o fazem na relação de alun@ com professor@, pois sabem que preconceito não faz parte da política e da pedagogia do local.

Ainda quero acreditar que, em um determinado momento, não precisarei conviver com pessoas que acreditam que meu corpo é propriedade masculina. Afinal, isso não é questão de opinião, é questão de respeito!

*Para @s interessad@s em alimentação saborosa, saudável e HONESTA, acessem o grupo do Facebook 365 Dias de Comida Honesta. Comer de menos faz tão mal quanto comer demais. Comer bem não é comer em excesso e controlar a alimentação não é parar de se alimentar! Devemos cuidar da quantidade excessiva e da falta, além da qualidade dos ingredientes das nossas receitas.

Sobre Sara Joker

Artista visual, quadrinista e atriz. Formada em licenciatura e bacharelado em Artes Visuais, pós graduada em Psicanálise. Nerd de humanas, adora RPG, quadrinhos, filmes cabeça, rock e livros. Se interessa por questões relacionadas as lutas pelos direitos das mulheres, negros e LGBTTTs.
Esse post foi publicado em biscatagi, biscatagi séria, desejos de biscate, uma biscate quer e marcado , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Fazer por você mesma!

  1. Sara, eu concordo e discordo. Sabe, eu quero muito agradar muita gente que não sou só eu. O que eu não faço é agradar alguém me afrontando significativamente. Mas agradar minha mãe, meu filho, o comidinha da vez com algum desagrado menor? Nem penso dias vezes. Acho que a vida é negociação e encontro (embora haja tanto desencontro, já dizia o Vinícius).

    Quanto aos comentários sobre o corpo, eu lido com humor (humor é muito importante na minha vida). Quando eu estive sibite baleada (sim, eu já fui magra) e me diziam que “homens não gostam ou gostam de…” que não era o mesmo que eu, eu dizia que não precisava que os “homens” gostassem de mim, uns dois ou três era suficiente. Mantenho a resposta se alguém vier falar que estou gorda, blábláblá. Mas, sabe, não me incomoda. É um incômodo do outro com a minha vida, com o meu corpo, com a minha alegria. Sou sempre gentil, escuto tudinho, afinal a vida da pessoa não deve estar tão divertida pra ela estar se incomodando com a minha. Uma coisa que tenho reparado é que – no meu caso – quanto mais à vontade eu fui ficando comigo mesma menos gente tem opinião a dar sobre a minha vida.

    Quanto à sua primeira pergunta, como pessoa que já esteve em clínica sempre me dá um arrepio mesmo quando escuto controle alimentar. De onde vem o arrepio? Da experiência. Obviamente se é uma pessoa adulta que fala isso, meu receio é menor. Foi de 22 anos pra baixo eu logo lembro mesmo do que você mencionou. É que, na clínica, comer bem nunca é relacionado a “controle” e sim a “prazer” (comer bem no sentido de comer saudavelmente, de forma equilibrada e sem privações). Claro que, na vida real, o termo tem outra conotação 😉

    (acabei fazendo um comentário enorme, laralilá, me perdoa)

    • Sara Joker disse:

      Não peça desculpas pelo comentário grande! É sempre bom ler comentários que faz a gente pensar! 🙂
      Quando falo de controle alimentar, sei que é assustador, pois já vi muitas pessoas chamarem inclusive anorexia de controle alimentar. Acredito que controle alimentar é simplesmente cuidar da saúde e ter hábitos saudáveis. Eu emagreci muito ano passado e de forma pouquíssimo saudável, fiquei mais cansada, dormia mais e gripava toda vez que esfriava a temperatura. Mas, ultimamente tenho repensado muito minha alimentação, tenho lido (mas não comentado) o grupo do facebook 365 dias de comida honesta e ando cuidando pra que meu coração não se transforme em uma bomba relógio.
      Não pretendo emagrecer, pretendo ter saúde, se eu emagrecer ou engordar com isso não faz diferença, só desejo meu colesterol na medida certa e que eu consiga subir um morro sem perder o folego na metade dele (tenho 27 anos, se estou assim agora, quando tiver com 57 ou 67 estarei pior ainda). E notei que comer dois pãezinhos no café da manhã e miojo no jantar pode ser o motivo dos meus problemas de saúde. É assim que controlo minha alimentação, trocando dois pãezinhos e miojo por frutas, legumes, sopa, leite, essas coisas…
      Mas, comecei a notar que em muitos momentos, quando não aceito comer os 2 pãezinhos no café da manhã com o pessoal do meu emprego, ouço que estou anoréxica! Justo eu que converso com minhas alunas que não aceitam comer pois estão fazendo dieta. Explico a elas que ser magra não é sinônimo de beleza e, se elas querem emagrecer, que o façam com saúde, comendo mais legumes e frutas.
      Acho que ainda me incomodo muito com terceir@s se metendo na minha vida. É se sentir mal em não poder ignorar pessoas que fazem comentários desnecessários quando estou quieta cuidando da minha vida e sendo educada com tod@s. Talvez seja uma irritação que precise trabalhar para, inclusive, melhorar minha saúde, ficar mais calma e amadurecer um pouco….

      • Baby,

        acho que as palavras tem força, sabe? Eu chamo de reeducação trocar dois pãezinhos por frutas, por exemplo. A gente não precisa de controle se isso for entendido como desejável, né? Quanto às outras pessoas, eu penso que gente chata é gente chata, sabe? Se não estiverem falando do seu pãozinho vão falar do seu cabelo. Ou da sua roupa. Ou d@ namorad@. Mas me preocupo (e muito) com suas alunas em dieta. Porque dificilmente estão acompanhadas por um profissional, não é?

        Claro que amei o post e, mais ainda, o papo 😉

        • Sara Joker disse:

          Imagine só eu, como meu preocupo com elas e com essa mania das adolescentes de emagrecer a qualquer custo.
          Até mesmo porque não é saudável se privar de saborear comida gostosa e, as vezes, pouco saudáveis. Tem dias que comer batata frita é bom, tem dias que comer uma barrona de chocolate nos faz bem!
          E você tem razão, se não falam do pãozinho, falam de qualquer outra coisa…

          Sempre bom conversar com você, minha lindona! 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s