“Você escolheu errado o seu super-herói”

Por Niara de Oliveira e Luciana Nepomuceno

A receita de hoje foi escrita a quatro mãos, quarenta comentários, quatrocentas gargalhadas e não sei quantas cervejas. Quem disse que muita mão desanda o pirão é porque não teve a chance de colocar a mão na massa coletivamente. Antes que uns tantos se animem, não, não é receita de suruba, bacanal e outras lúdicas atividades afins (mas o espaço tá aberto pra quem quiser dar umas dicas no tema). É mais mano a mano – ou mano a mana, melhor dizendo – a receita de hoje. De sabor picante, adiantamos, e para onívoros. Sim, é carne. Resolvemos tratar da nossa especialidade: homens – é uma receita da caixinha hetero, sabemos, não tem glamour, mas, olha, pra encher o bucho até satisfaz. Já deixamos aqui o convite para as amiguês lésbicas oferecerem sua adaptação da receita, afinal super heroína não falta (e pras vegans, sempre tem a Hera – há de ter um jeito de torná-la menos venenosa, né).

Sim, sim, nossa receita de hoje é homem. De encher a boca, de fazer salivar. E sim, estamos transformando os homens em objetos de cobiça, lascívia, luxúria, gula e se você ainda é do tempo que a) acha que mulher não sente tesão; b) acha que isso é sexista; c) acha que isso não é coisa de mulher “direita”, só podemos dizer que sua dieta não é das mais divertidas. Pra deixar claro: mulher deseja, seja ela direita ou canhota, e sentir desejo não é reificar o outro, submeter a complexidade do outro ao nosso desejo é que sim, seria. Pronto? Então, acendam o fogo.

Nosso recado é para você amiga-leitora-biscate-que-gosta-de-comer-homens-e-anda-insatisfeita-com-as-dicas-de-nova (oi, srta. Bia). Temos a impressão que a propaganda tá dando um empurrãozinho para andarmos errando a mão na hora de escolher o que colocar na caminha, ops, no carrinho. É, não está fácil fazer esse supermercado.

Não é de hoje que observamos mulheres suspirando diante de alguns homens como se fossem eles super-heróis ou fantasiando com os super-heróis e se frustrando com a realidade da comida no prato à sua frente. Decidimos então fazer uma investigação aprofundada sobre os atributos de cada um desses seres tão superiores quanto distantes do alcance da nossa mão. Na ausência da possibilidade empírica de degustação, fizemos um exercício analítico. Mas não se preocupem, imaginação não nos falta. Sim, vamos despi-los aqui e agora. U-hú!!!

Superman — Talvez o mais desejado e, vamos concordar, não sem razão. Bom moço, bom caráter, um E.T. do bem sempre pronto para salvar a humanidade disfarçado na pele de um inofensivo jornalista (será adepto do jornalismo wando?). E ainda tem aqueles oclinhos sexys pra gente jogar no chão na hora do arrebatamento. Pró: Com certeza ele vai te tirar os pés do chão ou, em claro português: vocês podem até levitar durante a trepada. Uau! Contra: O homem é de aço, minha amiga (ele mesmo é tão consciente das implicações que, quando foi pro vuco-vuco com a Lois Lane tratou de mudar de “categoria” e abriu mão dos super-tudo). De açoooo! Todo de aço, repara, amiga-animada-e-bem-disposta, que a pica não há de ser exceção. Balanço: A pegação pode ser tudo aquilo e mais um pouco, mas você pode não sobreviver a essa experiência.

Homem-Aranha — De novo… Bom moço, bom caráter, criado pela tia, um docinho, excelente fotógrafo. Pró: o cara te envolve, rá. E, claro, dá pra trepar numa rede feita por ele mesmo no alto de um prédio, ou seja, o moço no começo é desenrolado e autônomo. Uau! (pra quem curte altura). Contra: O homem se empolga e sai atirando teia pra tudo que é lado e em algum momento você está lá, repetindo: tô sem ar, você me tira o fôlego e ele: eu também, eu também, sem reparar que o problema é que na animação ele acabou criando um casulo. Balanço: Quem é que vai limpar a sujeira depois? Sim… Você! Porque ele já saiu de prédio em prédio, saltitante, todo feliz, para salvar alguém em apuros – ou só para desfilar entre prédios que ele é meio exibicionista, não concordam?

Tocha Humana — Para quem gosta de moços joviais, esse parece na medida: recém-saído da adolescência, impetuoso, bonitão, gosta de baladas e de muito movimento. Pró: o cara tem energia, disposição, o mulherio vai ficar na maior vontade de estar no seu lugar, ele representa o que de mais desejável a indústria da imagem vende: é moço, malhado, de traços nórdicos, bem-relacionado. Contra: o cara te incendeia. Já pensou, vocês em plena descoberta, mão naquilo, aquilo na mão e pluft: o homem acende que nem árvore de Natal com curto-circuito? Sorte sua se sair só chamuscada, mas a probabilidade maior é rolar churrasquinho de mulher. Balanço: você pode não sobreviver a essa experiência. Vai pensando na possibilidade de um ménage com o Homem de Gelo… não garantimos, mas pode ser que resolva.

O Incrível Hulk — Misterioso, andarilho, cheio dos segredos. Como sempre vai embora, não vai te sobrecarregar com cobranças ou ciúmes desmedidos. Vivido, tem sempre uma reflexão pertinente sobre as situações antes de partir pra o uso da força bruta (ui!). Sem falar que tem trilha sonora própria gracinha. Pró: aquelas mãos grandes hão de servir pra alguma coisa, né? Contra: O homem se empolga, fica verde, gigante, a roupa rasga inteira e qual o único pedaço da roupa que não rasga porque o corpo ali não cresce? Sim, a calça e a cueca. Desculpa aê, ninguém tá pedindo medida extra G nem afirmando que tamanho é documento, mas um mínimo de empolgação é bem vinda. Fica a dica: amiga, fuja dos verdões. Balanço: no fim das contas, não tem pelo quê ser chamado de “incrível”.

Batman — Chegado a uma vida noturna, riquíssimo, um gentleman, sabe dançar. Não é dos heróis barraqueiros que resolve tudo no tapa. Não, não, é daqueles propenso a uma interrogação metafísica do sentido da vida. Pró: como é notívago, pode ficar acordado a noite inteira. Como é riquíssimo e cheio das tecnologias pode sair te levando numa volta ao mundo onde seja sempre noite. Já pensou nas possibilidades interessantíssimas do uso desse tempo? E, claro, quem sabe dançar já sai na frente no quesito rebolado na cama. Contra: Depressivo demais. Estão lá no rala-e-rola, quase no vuco-vuco, e ele começa a questionar “quem sou eu, quem é você, o que estamos fazendo aqui”  — ele, claro, se referindo à espécie-humana-em-seu-trajeto-complexo-sobre-a-Terra-enquanto-entidade-cósmica e você com vontade de responder: SEXOOO! Eu quero sexo no melhor estilo Ultraje a Rigor! Pergunta existencial na hora do “vamos-ver”… Oi? Balanço: Mesmo que a suposta homossexualidade dele e seu caso com Robin não sejam verdade, ele não ri, é obscuro demais, passa muito tempo testando os brinquedinhos tecnológicos, é infantil em algumas coisas (sério, né, desenhinho no céu pra se comunicar….). Sem falar nos tipos esquisitos que o cercam, olha, vamo combiná: Foge! É cilada, Bino!

Senhor Fantástico — Tal como o verdinho e “incrível” Hulk, já chega com propaganda prévia. Cientista, dedicado, apaixonado, boa pinta. Abnegado, usa sua própria grana pra financiar pesquisas para o bem geral. Gente boa e com amigos legais. Pró: cheio de dedos e língua em explorações sem limites e concomitantes. Não há melhor em preliminares. Contra: primeiro, pra crescer, afina. Já se viu que não é das características mais tentadoras para, hãnn, humm, hãaann, seu órgão sexual. E as coisas pioram: como tem as características da borracha, diante do calor, amolece. Ai, ai, nada promissor. Balanço: se é pra animar a noite e você tá aberta ao alternativo, vai fundo, mas não conta com ele pros finalmentes, tá?

Wolverine — Aiaiai… Quase toda bisca pira no Wolverine! Dá pra pensar: sem passado e sem futuro, aquela barba por fazer, um certo ar perdido, forte, boa pinta. Pró: um lado meio animal. Contra: um lado meio animal. E, claro, as garras de adamantium. Se for na boa e velha posição papai-e-mamãe é um colchão por vez. Se for você por cima, não se esqueça de algemar as mãos dele na cama, porque na hora do bem bom ter um “arranhãozinho” nas costas da magnitude que ele pode proporcionar, bom, só outra você. Balanço: risco de vida. Se você é da turma das escaladas nos Alpes, mergulho com tubarões, pular de bungee jump, talvez se atreva.

E daí, já pensa a desolada-leitora-amiga-faminta-e-potencial-devoradora-de-homens (oi, srtabia, mais beijos), vou ficar de barriga – por assim dizer – vazia? Não tem o que desfrutar? Calma, calma, a receita é simples: tirando o super, fica tudo cabendo no cama-mesa-banho. Já reparou no charme do sorrisinho com um dente meio torto e a camisa um pouco amassada do colega da mesa ao lado no trabalho? No cheirinho gostoso do vizinho que chega começo de noite cheio de sacolas no supermercado e entra sorridente no elevador? Na musicalidade da voz daquele amigo com a calvície tão vistosa quanto o bom humor e que te dá um mole danado? Estamos apostando que o gostoso é o homem comum. Que saboroso é se permitir descobrir a especificidade de cada detalhe. De abrir mão do ideal de cozinha requintada para todas as refeições e cair de boca num belo feijão-arroz-salada-e-bife na certeza da nutrição completa e satisfatória (e já descrevemos a beleza do arroz com feijão). De não listar os defeitos antes de re-conhecer as texturas, sabores e odores. De não se deixar levar pro ideal de beleza e perfeição cheio de brechas e contradições (tem que ser meio animal, aka Woverine, mas ser fino e rico, tipo Batman, irônico e experiente, convoca o Bruce-Hulk, mas tem que ser jovem, chega Tocha, e provedor, Senhor Fantástico…e por aí vai). Estamos na vibe: barriguinha de cerveja é declaração de caráter (de bom caráter, deixando claro). Por mais que a barriga-tanquinho do Wolverine e afins seja interessante, queremos recordar que o momento não é de lavar roupa e sim de outras atividades mais lúdicas.

Por isso, amiga-leitora-bem-disposta-ao-rala-e-rola-carnívoro-sem-censura-e-sem-pré-condições-arbitrárias-e-externas (oi, srtabia, você por aqui again?) a receita é: não tem modelo, marca, tipo ou padrão. Homem é homem e quanto menos super, melhor, a gente vai e come. Enfim, freneticamente alertamos: não vá escolher errado seu “super-herói”!

Como pra toda regra há de se ter uma exceção e toda receita demanda flexibilidade e adaptação de ingredientes, tempo e disposição, as biscas-escreventes em questão não deixariam passar o Zorro. Primeiro porque o que ele tem de super não são os poderes, mas a consciência da opressão de classe e tals. Segundo porque o sotaque nos deixa alerta e ouriçadas. E, bom, ainda tem o jeito que ele sabe manejar a espada que já põe a imaginação a mil pensando no que mais ele vai usar toda aquela precisão e agilidade. Pró: herói latino-americano e no estilo Robin Hood, rouba dos ricos para distribuir aos pobres… É SOCIALISTA! Adoramos. Contra: anda muito a cavalo, deve viver assado, tadinho. Também compartilha a vibe “bora resolver no tabefe” o que é, vamos assumir, meio infantil, cospe aqui se for homem e coisas assim. Mas no fim das contas, balanço por balanço, o homem tem gingado, presença, um bigodinho que é tudo, agilidade, é bom de copo, dança (U-húuu!), se inquieta com as injustiças, sangra se for ferido, encontra sempre as entocas certas – isso é que é talento! – envelhece e pode morrer. É de lamber os beiços.

diliça! assim você me mata…

Sobre biscatesocialclub

"se acaso me quiseres, sou dessas mulheres que só dizem sim..."
Esse post foi publicado em biscatagi especial, receita biscate e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

33 respostas para “Você escolheu errado o seu super-herói”

  1. marcia2005avila disse:

    Uia que tudo! Mas meu herói é o Thor! Cabeludo, nórdico e com aquele martelo. Meu sonho é ser nora de Odin e filar cerveja grátis em Asgard. Beijos!

  2. gilsonmhjr disse:

    Dica, pesquisem sobre o Homem-Animal e o John Constantine.. acho que são heróis mais bacanas que os fortudos ai…

    De resto eu ri muito, achei o máximo,etc,etc,etc

    • marcia2005avila disse:

      Constantine❤

    • Gilson,

      foi resolução conjunta falar dos heróis realmente populares, não aqueles que apenas os mais especializados conhecem. Por isso o Homem-Animal ficou de fora assim como outros personagens menos badalados. O Constantine ficou de fora porque, apesar do sucesso do filme e tal, ele não é um herói nem na sua concepção nem no seu procedimento. E não é, especialmente, super-herói.

      E, destaco, o sentido do texto não era escolher o melhor herói ou o mais comível e sim dizer que bom mesmo é homem comum, sem (super) poderes a não ser, talvez, a gentileza, inteligência, etc.

      • gilsonmhjr disse:

        Não questionei o post só deixei uma dica… E concordo, entendi o sentido do texto.. fiz um chiste.

  3. Mira Lima disse:

    Zooroooooooo, meu herói preferido!!! ai que tudo!!!

  4. renatalima91 disse:

    Wolverine. Check.
    Menage com o Tocha e o Homem de Gelo. Check.
    Mas…
    Vamos colocar o Blade aí tb, para dar um tchã nessa supremacia branca? (o Zorro é latino mas é branco latino, né, negas?)
    E Constantine…
    Ai, Constantine…
    Constantine e sua tosse tuberculosa, seus cigarros… seus demônios…
    Ai. boa lembrança, Gilson.
    No fim das contas, herói é o Shrek: tem camadas!
    Rá!

    • Linda, não é nossa culpa (embora lamentemos profundamente) que os super-heróis ícones sejam todos de um mesmo “molde”…Não falamos do Blade nem Constantine porque, embora charmosos e sexys e tal, não são heróis, né? Eles até se envolvem em um ou outra redenção da humanidade, mas heróis não são nem em sua descrição do wikipédia.

      Ainda assim, se incluíssemos por acaso mudaria o resultado final? porque defendemos que bom mesmo é o bom e velho cara da esquina com dente amarelado de cigarro ou dor na lombar ou nariz grande ou sei lá o que que o afasta do modelo, né não…?

  5. Lia Drumond disse:

    Sempre achei o máximo ele marcar os inimigos com um Z! Amo!

  6. O Tocha Humana é o meu preferido, seguido do Wolverine. Ahhhh, se eu te pego!😛

  7. Mannii disse:

    Eu tenho muitas idéias pra uma versão xxt do post, mas são sado-masô demais kkkkkkkkkk então, deixa quietinho…

  8. Aqui tem uma barriguinha de whisky e bacon, que gosta de arte, requinte e safadeza… Libertário, divertido e pouco modesto. Sou super não… Mas posso fazer sentir mega blaster!

  9. Ludmila disse:

    Faltou o homem de ferro, gatas. O capitão América, o Demolidor e o SURFISTA PRATEADO!!! O universo marvel é pouco sexy para vocês… hehehehe

  10. Rodrigo Ribeiro disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk……A do rei rsrsrsrsrs. Muito bom…^^

  11. topamos o Zorro se ele for o Antônio Banderas.🙂

  12. dehcapella disse:

    DOis ou três apartes:
    1) O post valeu pela citação musical do título. Passando recibo de véééia, eu sei.😉 mas amei.
    2) O post valeu pela diversão que aparenta ter sido sua escrita. Oh yes.
    3) Aaaaah Wolverine. Mas quedê Thor??

    Beijo, suaslinda.

  13. DICA: Antes de reclamarem a falta de algum super-herói verifiquem se ele está classificado mesmo como super-herói ou se é apenas um personagem de HQ.
    Não era nossa intenção fazer um inventário de todos os super-heróis existentes e nem agradar ao gosto de cada um/uma sobre o seu SH favorito porque 1) seria impossível agradar a todos/as, 2) porque não era esse o objetivo do post — apesar de entendermos a empolgação com a nudez (ui) dos SHs –, 3) porque queríamos brincando (e nos divertindo também) dizer que não é possível comer SHs, e já que 4) vamos mesmo é comer os homens comuns, por que não os assumirmos e valorizarmos ao invés de ficarmos suspirando por tipos tão surreais? Era nesse sentido. E isso está dito no texto.
    E repito a pergunta da Lu: Se incluíssemos todos os reclamados por acaso mudaria o resultado final?
    Beijos!

  14. Vivi Ayres disse:

    Zorro é mesmo de lamber os beiços…
    Esse post está todo bom…..abrir os olhos com humor…e dos bons!!!
    Eu me pego às vezes escolhendo…escolhendo…buscando homens perfeitos…(mesmo que a perfeição não seja igual a dos Super-Heróis…é como se eu colocasse pré-requisitos muito altos) enquanto deixo passar um tanto assim de homens comuns…

    Beijos Lu e Niara!!!

  15. MC disse:

    E o Ciclope, com aqueles olhinhos escondidos, aquele jeitinho de timido, mas que destroi tudo…adoro!

    • gilsonmhjr disse:

      Cíclope: O maior injustiçado no filme dos X-man.. nada a ver. Eu achava ele chato qdo era moleque, mas depois admirava,o sujeito era o cara.

  16. Lia Padilha Fonseca disse:

    Genial! Divertidíssimo! Alegrou meu dia! Queria ter participado dessa farra… :*** o/

  17. Pingback: Inventário de uma alma rebelde, de bisca |

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s