Ressignificar a buceta

Segundo o Dicionário Aurélio,

Significado de Boceta

s.f. Pequena caixa redonda ou oval. / Caixa de rapé. / Casta de tangerina. / Variedade de manga. / Bras. Determinado aparelho de pesca. / Pop. Vulva. // Boceta de Pandora, origem de todos os males.

Esse finalzinho aí foi bem assustador, mas condiz com o que muitas religiões pensam das mulheres, do sexo, e, obviamente, do genital feminino.

Outro dia, estávamos conversando, várias biscates, oficiais ou não, sobre o uso das palavras. Caralho! Tivemos a óbvia e etílica descoberta de que a palavra usada para designar o membro viril é muitas vezes usada num contexto não pejorativo ou obceno, como “Bom pra caralho (ou prá cacete)”, enquanto não conseguimos encontrar um uso coloquial que fosse, no sentido positivo, para a pobre – palavra – boceta – ou buceta?

De acordo com a Wikipédia, bOceta é a tal caixinha, para guardar rapé, ou também, a palavra vulgar usada para designar a vulva, enquanto bUceta é a palavra usada, no português brasileiro popular e chulo, para designar a vagina ou a vulva. Também coloca alguns sinônimos regionais interessantes: bacurinha, buça, buçanha, capô-de-fusca, mijona (oi?) xereca, pastel (de novo: oi?) carne mijada (sério??) perereca, periquita, rachada (que original!), tabaco, tchura, tubia, xana, xavasca, xexeca, xibiu (oi Jorge Amado! Oi Gal! Oi Dorival! Oi Gabriela! ) xota e xoxota. Ufa.

São citados ainda, como “familiar”: bimbinha, griguilha, pipi, xibica, nhonhoca.

E como “popular”: passarinha, perseguida, racha ou rata.

Em Portugal, ora, pois, o nome da buceta seria cona, pachacha ou patareca (caso esteja por terras lusitanas, pesquise ai em que contexto, fora do sexual, elas são usadas, sim – as palavras, não as bucetas, por favor sim).

E tem também um termo que a Wikipédia colocou, que eu juro que não entendi. Sob o título de “social”, colocaram como sinônimo de BUCETA, perseguida.

Perseguida… lembrei do mito da vagina dentada.

E tem gente que tem medo mesmo. Medo da buceta perseguidora. Da buceta que faz o homem chorar, que faz o homem matar… Enlouquecer.

E enquanto PORRA e CARALHO e CACETE são vulgares, mas são populares (em certas regiões, o povo não tira da boca – ops!) e usadas para reforçar o quanto algo é bom ou serve como superlativo, acho que BUCETA só uso (como expressão) quando dou uma topada com o dedo mindinho do pé no pé da cama.

E aí é como xingamento, mesmo, né…

E enquanto um “puta que pariu, caralho, que porra é essa! É do caralho!” tem efeito elogioso, quando eu ouço um “puta que pariu, caralho, que buceta é essa!?!” boa coisa não se deve esperar.

Que medo é esse da buceta? Que medo é esse de falar, conhecer, tocar, deixar ter o cheiro ou os pelos que ela tem?

Não, não podemos. Tem que depilar tudo, usar desodorante “íntimo” para disfarçar o cheiro… da buceta (calma lá, ninguém tá falando da vibe Napoleão e Josefina, certo? Eu, ao menos, curto a coisa limpinha, né, mas sem neuras!), usar “protetores de calcinha”, sério, gente, a calcinha não pode ter contato com a nojeira da buceta, é isso?

Buceta não é coisa de mulher pra casar? Ah, então tá.

Buceta não é coisa de “mãe de família”? Ok.

E pra finalizar, deixo do desafio: vamos ressignificar a buceta!

Não precisamos ter vergonha das nossas “partes”, das nossas pobres “perseguidas”.

A buceta é nossa, cada uma tem a sua, com seu cheiro, sua cor, seu hair style.

Eu adorei essa montagem, as imagens usadas, de cantoras estrangeiras badaladas, ainda, fazem pensar no quanto de preconceito de classe existe contra o funk, quanto às mulheres do funk e contra mulheres falando de sexo em geral…

Eu dou pra quem quiser que porra da buceta é minha!! é apenas uma outra forma de dizer:

Não dá pra mudar o significado das palavras assim, de um dia para o outro, mas dá prá começar a pensar, né?

Então, vamos parar de ter vergonha até de falar?

Repete comigo: BU-CE-TA!

Sobre renatalima91

Ninguém na fila do pão. Delegada de Polícia, mãe, feminista.
Esse post foi publicado em biscatagi é cultura, biscatagi séria, uma biscate quer e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

49 respostas para Ressignificar a buceta

  1. Belíssimo manifesto!

    • renatalima91 disse:

      Grata pela visita, Fernando, seu docinho!
      Foi bem libertador escrever, na verdade.
      Beijo!

    • Lennon disse:

      bem interessante.. mas xibiu? sempre vi essa palavra sendo usada pra se referir ao ânus.. enfim.. achei kurioso alghém chamar a vagina de mijona.. provavelmente, kem inventou isso nasceu de uma kloaka.. konfundir vagina kom vulva eu acho aceitável.. mas kom a uretra? hahahah

      acho ke faltou akrescentar uma koisa aí.. tem o verbo embucetar, ke signifika atrapalhar, estragar, sabotar, kolokar empecilho..

      vai uma kuriosidade aki agora..

      buceta, em italiano, é figa.. e é usado komo adjetivo pra dizer ke alguma koisa é “legal” ou “da hora”
      pode-se dizer ke tal koisa é figa

      mas é isso aí.. o artigo fikou bom pra buceta \ô

  2. Marília Moscou disse:

    Que da buceta.

  3. ftiagocosta disse:

    Puta que pariu, caralho, buceta, priquito, rola, cu (digo isso porque gosto é da diversidade, =P) que texto massa! Adorei!

  4. Clara Gurgel disse:

    BU-CE-TA!

    • renatalima91 disse:

      É bem libertador, né, falar em voz alta, com o U fazendo até biquinho, como disse o Ogro Gilsno na mesa do bar, em uma feijoada paulista com samba, que não ficou a dever nada para o carioca torcedor do Tricolor Fluminense,
      Foi uma tarde da buceta, de onde surgiu a idéia de falar sobre isso!!
      Que bom que gostastes, bisca!
      Beijos!!

  5. Nina Araújo disse:

    O texto mais bucetudo que já li. Fineza de alta qualidade.

  6. Joanah Dark disse:

    Buceta! A-do-rei e to começando a ressignificar desde já!

  7. Alex Castro disse:

    mas não tocou na minha maior duvida lexical bucetística…

    Por que se diz “embucetado” mas não “desbucetado”?

    Por que se diz “despirocado” mas não “empirocado”?

    Nossa língua parece estar dizendo: se você tira um pouquinho do pau de um homem, ele fica, bem, despirocado. Já a mulher, quanto mais buceta você lhe der, mais ela fica, bem, embucetada. Por outro lado, inversamente, se você der mais pau pro homem e tirar a buceta da mulher, tudo fica numa boa.

    Não é poética nossa última flor do lácio?

    • renatalima91 disse:

      Sua dúvida merece outro post, Alex…
      Mas não venha tirar a buceta da mulher!!!
      Quanto mais buceta, melhor!

      (Agora, pesquisando os vários sentidos das palavras que você escolheu, bem, eu diria que a nossa última flor do Lácio, com suas misturas de tupi-guarani e tal, é bem machista, né???
      Quanto mais buceta, mais irritado, mais perdido, mais sem razão. Embucetou.
      Quanto menos pau, mais louco, mais perdido, mais sem razão. Despirocou.
      Eita, lingua falocêntrica… tudo gira em torno do pau, caralho???
      Não que seja necessariamente ruim girar em torno do pau, mas, melhor deixar pra outra hora.
      “Uso e etim.: Despirocado vem do tupi “pi`roca”, que significa careca, calvo, e, por extensão de sentido e analogia, designa o pênis. O termo entretanto não se refere a quem não perdeu o pênis, mas a razão. A palavra é mais usada no masculino. O feminino é despirocada.”. Não sei se está certo, mas gostei de saber a origem de mais um termo assim.
      Alias, descobri tb que caralho é o cesto do alto do mastro, e que segundo a Wikipédia, era o termo há muito usado em português e em castelhano, até mesmo em documentos oficiais…
      A Wiki fez uma etimologia do caralho.
      E a pobre buceta, só ganhou seus sinônimos.
      Muito injusto!!!

      Beijos, docinho….
      Prazer ter você por aqui.

  8. anonima disse:

    Esse texto me fez lembrar de uma amiga que tem sofre dessa “síndrome da buceta limpinha”. Fico na dúvida se eu liberto-a do uso de sabonetes íntimos e protetores diários ou não.
    “Pq minha ginecologista falou que o sabonete íntimo equilibra o PH, ela fica cheirosinha, deu depilo tudo pq meu namorado gosta dela lisinha e eu me sinto mais limpinha” BLÁ BLÁ BLÁ RS

    • renatalima91 disse:

      Então, esse papo de buceta cheirosa é meio bizarro, né?
      A gente cresce, nesse mundo ocidental, capitalista, onde produtos de beleza e “higiene” rendem bilhões às indústrias, então, para ganhar mais, temos que fazer as pessoas se sentirem mal com seus odores, com seus sabores, com seus estilos pubianos…
      E vem cá, que ginecologista é essa, que falou que sabonete íntimo equilibra o PH? Tá louco, meu…
      Minha antiga depiladora era quase uma ditadora, aliás, era uma ditadora, e mesmo eu dizendo que não queria que tirasse tudo-tudo-tudo, ela não se importava, se fazia de surta, e puxava tudo, dizendo que era mais “higiênico”. Tá, eu gosto de certas partes lisinhas, sim, mas tirar tudo, gente, e a função natural dos pelos, na hora de direcionar o xixi???
      Já tentou fazer xixi sem sentar na privada, naquela posição em semi-flexionanda, que a gente é ensinada a usar em bares, restaurantes, em banheiros públicos em geral??? Então… eu já.
      E não funfa, espirra por todos os lados!!
      No mais, lets free buceta!!!!

      Beijos e volte sempre!!!

    • Diego disse:

      Nada mais broxante que fazer sexo oral numa BU-CE-TA com gosto de sabonete. E tem homem q gosta? Comer muito Big Mac está alterando o “paladar” da moçada.

  9. Aline disse:

    liberta… deixa a buceta respirar!
    Sabonete intimo e protetor diário é só ilusão.
    Adorei o post… aliás adoro tudo aqui… O blog bom da buceta!

  10. Édna Tamires disse:

    Muito bom! Confesso que eu tinha um certo preconceito em relação a funkeiras, depois de ler o texto e assistir os vídeos percebo que existe aí algo muito além da “vulgaridade”, as letras demonstram revolta a idéia de que mulheres ‘decentes’ não podem ser sexualmente ativas quanto os homens.

    • renatalima91 disse:

      Então, Edna!
      Claro que algumas vezes, as cantoras do funk adotam posições que eu considero contraditórias, nas suas declarações.
      E tem muita gente que acha que elas são o sinal da perdição, por falarem coisas como “e ainda dou o meu cu de cabeça pra baixo”.
      Bem, tem gosto pra tudo, né?
      Se for consensual, entre duas pessoas adultas e conscientes, dar o cu de cabeça pra baixo pode provocar lesões, mas vale a intenção, hahaha.
      Eu acho perturbador é o preconceito de classe que vem imbutido. As meninas e meninos ricos e de classe média, que dançam rap americano, oou rebolam ao som de alguma rave, ou sei lá quem, branquinhos, dentes perfeitinhos, cabelos lisinhos, são só um pouco atrevidos.
      A menina negra que veste a mesma roupa da patricinha no shopping de alto padrão é chamada de periguete, no mínimo.
      Eu gosto de funk, pra dançar. Acho o ritmo contagiante.
      E adoro chocar geral e descer até o chão ao som de Gaiola das Popozudas…
      My pussy é o poderrrrr!!!!
      A buceta é minha, e eu dou pra quem eu quiser!!!
      Quem sabe, cantando isso, não haja ao menos um mínimo de empoderamento feminino???

      Beijos, bisca, e volte sempre! Adoramos comentários!!

      • Marcão disse:

        As funkeiras estão liderando uma campanha em prol da liberação da palavra “BUCETA”, que diga se de passagem, já não era sem tempo. A BUCETA era um tabu que felizmente esta sendo derrubado. Os homens não pronunciavam BUCETA se tivesse uma mulher presente, e as mulheres não diziam nunca. Hoje timidamente já se ouve falar BUCETA em algumas reuniões que agregam ambos os sexos e isso é uma vitoria para pessoas como eu, que acha “BUCETA” a palavra mais linda do dicionario brasileiro, com seus pelos e seu cheiro caracteristico. Todos pela liberação da BUCETA e viva a BUCETA!!!

  11. Isa Casalotti disse:

    Bucetas livres! \o/

  12. Cris de Souza disse:

    Dá-lhe buceta!!! Faltou xonga…

  13. Manu disse:

    Adorei o texto mas observei algumas coisas e gostaria de compartilhar com vocês.
    Fiquei super empolgada quando vi o nome da música: ” Minha buceta é o poder”, mas com a continuidade da mesma me decepcionei. Não é poder porque dá prazer. A ênfase da música é mais p/ o lado “mulher burra fica pobre”, e nem me refiro à prostituição, porque aí acho digno (dinheiro em troca de serviço prestado, como em qualquer profissão). Mas ela não se refere a isso, mas novamente à dependência da mulher em relação aos homens, pois ela passa a mensagem que se ela tem buceta e sabe tirar proveito disso, o homem sustenta, dá tudo. Como se ela não tivesse alternativas para enriquecer sozinha, como se o meio normal para o sustento de uma mulher fosse sempre PRECISAR de algum homem.

    Outra coisa: em relação aos sabonetes íntimos, protetores de calcinha e até sobre os desodorantes íntimos. Os sabonetes íntimos são mais apropriados sim para a região genital feminina. Os sabonetes comuns são muito alcalinos e acabam desequilibrando demais o ph dessa região que é ácido, favorecendo a invasão de bactérias (não as residentes, mas as patogênicas) e, consequentemente, aumentando as chances de surgimento de infecções. O ph do sabonete íntimo é compatível com o ph da nossa querida buceta e portanto, não nos causará problemas. Também é por isso que ele diminui os odores. Não vejo problema quando nos incomodamos com o odor das nossas vulvas. Nós também não gostamos do odor das nossas axilas e por isso usamos desodorantes. Não acho interessante utilizar desodorantes íntimos porque esse aí já não traz benefícios como o sabonete íntimo exceto pela desodorização. Mas nada contra ele também para quem ter odores excessivos e se incomoda com isso, assim como existem pessoas que têm transpiração excessiva nas axilas e compra aqueles desodorantes mais potentes.

    Quanto aos protetores de calcinha, eles servem para o conforto de quem tem uma umidade acentuada na vagina. Ao longo do dia isso incomoda muito, pois deixa aquela sensação de umidade, de calcinha molhada. É mais confortável estar fresquinha, sequinha. E é melhor trocar o protetor do que ficar levando calcinha na bolsa p/ trocar. Porém os ginecologistas desaprovam, pois isso “abafa” a região e calor é sinônimo de proliferação bacteriana e fúngica. Eu uso e não tenho problemas.

    Bem, dá p/ notar que eu não consigo ser sintética rsrs. Da próxima vez, prometo que faço um esforcinho maior!

    • renatalima91 disse:

      Manu,
      oie!
      Bem, primeiro, os últimos:
      a verdade é que cada buceta é uma buceta, né?
      Eu sou supersensível, esses absorventes com cobertura “extra-seca” e tals me ferem todinhas, por exemplo.
      Quanto ao sabonete íntimo, não é o sabonete em si, mas a forma como é vendido… É tipo desodorante Axe. Caralho, eu sou super a favor de desodorarante, mas as publicidades do Axe… só pra ficar em um exemplo…
      Quanto ao funk, a Edna Ramirez fez um comentário que é exatamente o que eu te responderia!!!
      Bjs!!!

    • suzana disse:

      Concordo contigo Manu mas deixo outra pergunta em questão: porque só as mulheres devem se preocupar com os odores e os homens não? Pois afinal, todos suamos (e nem vou entrar no mérito do odor natural e sim uma questão de ‘higiene’), mas sempre é uma imposição pra mulher estar linda e plástica…

  14. Giva disse:

    M embucetei todin!

  15. Édna Tamires disse:

    Renata,

    é verdade, algumas cantoras de funk são meio contraditórias. Mas, ao mesmo tempo, passam uma segurança e autonomia em relação aos motivos que as levam a adotar determinada postura. Eu entendo que se trata de sobreviventes, e se tratando de sobreviventes, é difícil de se estabelecer um padrão comportamental. Noto também que quando musicam coisas do tipo “mulher burra fica pobre, mulher inteligente pode até enriquecer” fica evidente que retratam a dura realidade de uma classe social desfavorecida. Não estou generalizando, mas é muito comum que isso aconteça. As próprias cantoras são um exemplo. Infelizmente nem sempre se consegue algo usando unicamente o intelecto, isso depende das condições do meio onde se vive. Mesmo não fazendo uma análise profunda das músicas que compõem, acabam refletindo um pouco de suas realidades. Pena que a maioria das pessoas estão mais preocupadas em julgar as coisas de acordo com uma moral tirada de uma cultura machista, ao invés de procurar compreender a situação (eu mesma já julguei, mas agora sou uma pokemon evoluída :p).

    Independente do que fazem com a buceta, merecem respeito!
    Fodam-se os moralistas, a buceta é livre!!!

    Bjs, bisca, próximo texto volto aqui pra zuar mais um pouquinho! HEEHeheheEE…

  16. Pingback: Facinha… Por Um Triz |

  17. passarinha disse:

    Perseguidíssima, adorei o texto! O blog tá ótimo, bucetal mesmo 🙂

    Outra questao bacana de pensar é o nojinho que desenvolvemos com a menstruacao né? É proibido falar sobre isso em público – principalmente porque os homens ficam com cara de nojinho. É proibido trepar menstruada. É proibido sangrar.

    Antes lá estavam eles nos cobrando o sangue puro do rompimento do hímen. Se con el sangre nos cobran, con el sangre nos pagarán: guerrilla menstrual ya!

    Sério… pra quem nao conhece eu indico os coletores menstruais.. Acho que é uma tecnologia que ajuda a transformar essa relacao cheia de “nojinhos” com a qual sofre nossas queridas perseguidas. Acho que o termo perseguida faz sentido mesmo.. é muita perseguicao, coitada…

  18. Mauricio disse:

    excelente post! A verdade é que nós homens temos mesmo medo da buceta, nos ensinaram a teme-la deve ser porque alguem sabia o poder que ela tem! E se tem, ja atravessei uma cidade a pé de madrugada atrás de uma!

  19. Pedro disse:

    A buceta já tá na boca do povo.

  20. Marcão disse:

    Viva a buceta!!!

  21. JC Bruno disse:

    Gosto de BUCETA (a própria e a palavra).Infelizmente existe ainda um enorme preconceito com relação ao uso dessa palavra.Curti muito seu texto e dou meu total apoio para que façamos um movimento para reverter essa situação.VIVA A BUCETA !!!

  22. Marcão disse:

    È isso aí JC, é muito gostoso ter um grupo de homens e mulheres de mente aberta falando e dando suas opiniões sobre um assunto tão polemico. Quanto mais se falar e maior for o grupo, menos preconceito vamos ter.Vamos desmistificar sua magestade “A BUCETA” E APLAUSOS PARA ELA!!!

  23. Adoro falar “buceta”, vou nem mentir. Vc enche a boca, parece nome de doce haha.

    O que mais vemos é galerinha criticando funkeira (principalmente no facebook, com essa onda protestos por coisas banais), porque mulher não pode ser vulgar. Mulher pode ser como ela quiser, honey! E faz o que quiser com a pussy dela.
    Quanto a hairstyle (ri muito com a palavra), cheiro, protetores, etc, creio que tem a ver com como vc se sente com sua perseguida. É uma questão mais interna (oopsy) do que externa, no final das contas.

  24. Marcão disse:

    BUCETA é uma palavra sublime, eu adoro falar e ouvir! Todos os comentarios de seus/ suas admiradores/as serão muito bem vindos!!!

  25. Robinson disse:

    Adoro boceta ou buceta e tb laranja lima…..

  26. Amei o texto….rsrsrs

  27. Pingback: Paixão? Amor? Outra resposta possível? |

  28. Pingback: Oba! #UmAnoBiscateSC | Charô

  29. Só vi esse agora, xará. Na comemoração do aniversário. Adorei! 🙂
    E me lembro de quando “dominei” a palavra. De quando passei a usá-la. Porque antes não havia nenhuma a meu gosto.
    Essa é a boa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s